Entenda como funciona o novo FIES

Quer entrar em uma faculdade particular, mas não pode arcar com os custos da mensalidade? O governo criou a solução para que você consiga prosseguir com os estudos sem passar nenhum aperto financeiro até que se forme e consiga um emprego.

O programa FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) dá oportunidade a milhares de estudantes de entrarem em uma faculdade privada, concluírem o curso e só então começarem a pagar.

Vantajoso, não é? Veja agora o que é preciso para tentar o financiamento do Fies e o que fazer para manter o benefício.

Quem pode tentar conseguir o FIES?

  • Pessoas que tiverem notas do Enem a partir de 2010, estiverem matriculados em uma faculdade privada que atenda ao Fies, tenham renda familiar mensal de até 5 salários mínimos per capita e conseguirem uma avaliação favorável do MEC nesta instituição poderão solicitar o financiamento.

Quais são os passos?

  • Primeiro é preciso fazer a Inscrição no SisFIES (acesse: fiesselecao.mec.gov.br)
  • Depois disso o estudante deverá esperar pelo processamento das declarações de renda prestadas para conseguir o benefício;
  • Caso tudo seja aprovado, haverá, então, a admissão do financiamento.

Quem não consegue o FIES?

  • quem não tem a aprovação do MEC nos processos internos da instituição para a qual tenta o financiamento;
  • quem está com trancamento de matrícula em alguma instituição;
  • quem já usou o benefício do Fies antes (tendo concluído ou não a graduação);
  • quem está em dívida com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC);
  • quem tem bolsa integral do ProUni;
  • quem já é graduado;
  • quem zerou a redação do Enem e/ou obteve média geral de menos de 450;
  • quem tem renda familiar por pessoa acima de 5 salários mínimos.

E como é feito o pagamento quando concluído o curso?

Algumas regras do FIES mudaram para 2018.

O aluno tinha antes um período de até 18 meses para começar a pagar o financiamento depois de concluir o curso, chamado período de carência.

A nova regra define que assim que o aluno se forma e consegue um emprego haverá um desconto automático de até 10% de seu salário para pagamento do financiamento estudantil. Se não conseguir emprego ou desistir do curso, um valor mínimo será cobrado do financiado mensalmente.

Há três tipos de financiamento:

1ª) Quem comprova renda familiar mensal de até 3 salários mínimos por pessoa ganha o benefício com juro 0%. São 100 mil vagas para esta modalidade.

2ª) Quem comprova renda familiar mensal de até 5 salários mínimos por pessoa e está nas regiões Norte, Nordestes ou Centro-Oeste consegue o financiamento com juros de 3%. São 150 mil vagas para esta modalidade.

3ª) Há, ainda, 60 mil vagas para quem declara renda familiar de até 5 salários mínimos das demais regiões do país. A taxa de juros para esta modalidade é definida pelo banco que financia o estudante.

Bolsistas de 50% com o Prouni podem tentar o Fies para financiar os outros 50% não contemplados!

O Fies veio para facilitar e democratizar o acesso da população ao ensino superior, uma iniciativa governamental muito relevante para a construção do futuro de nosso país. 😉