A tipologia de Myers-Briggs

Você já ouviu falar sobre o indicador tipológico de Myers-Briggs? O sistema, criado por Katharine Cook Briggs e sua filha Isabel Briggs Myers, foi baseado nas teorias sobre Tipos Psicológicos dos indivíduos, de Carl Jung, psiquiatra e psicoterapeuta suíço fundador da psicologia analítica. A ideia era a de definir, por meio das preferências individuais, que são as características que mais se sobressaem nos diferentes sujeitos.

As pessoas enxergam o mundo de formas particulares. A tipologia de Myers-Briggs permite o autoconhecimento em inúmeras áreas. Permite, ainda, que se compreenda, por exemplo, porque as pessoas têm mais facilidade em determinadas situações do que em outras.

O sistema funciona da seguinte forma:

O indivíduo deve escolher uma característica, com a qual mais se identifica, a cada par de preferências.

1º PAR DE PREFERÊNCIAS – Tem a ver com a nossa forma de direcionar e receber energia.

Isso é definido por como nos motivamos, se por interação com outras pessoas ou por reflexão interior. Nesse sentido, há o indivíduo INTROVERTIDO e o EXTROVERTIDO.

É importante ressaltar aqui que não se trata de limitação, mas sim de escolha da característica que é mais evidente na maioria das situações vivenciadas pelo indivíduo. Uma mesma pessoa pode ser extrovertida, porém com alguns traços também de timidez. É possível ter ambas as características, depende do contexto, mas, certamente, uma delas irá se sobressair em relação às outras.

2º PAR DE PREFERÊNCIAS – Diz respeito à forma como processamos informações e a percepção que temos sobre elas.

Existem as percepções mais práticas, factuais, reais e do “agora”. Assim como as percepções medidas como possibilidades e pautadas nos significados de cada ação. Há, portanto, quem é movido pela SENSAÇÃO ou INTUIÇÃO.

3º PAR DE PREFERÊNCIAS – Depois de adquirir as informações, é preciso definir o que será feito com elas. Neste par, o indivíduo é analisado quanto ao critério pessoal para tomar decisões.

Pode ser de um jeito lógico, analítico, em que se pesa prós e contras, ou aquele que considera como a decisão pode impactar o outro. Trata-se, portanto, dos que agem pelo PENSAMENTO ou SENTIMENTO.

4º PAR DE PREFERÊNCIAS – Este último par de preferências é determinado pelo estilo de vida com o qual o indivíduo mais se identifica.

Pode ser aquele mais organizado, sistemático, ou aquele que é espontâneo, que considera o “leque de opções” em todas as circunstâncias. As duas tipologias deste par são JULGAMENTO e PERCEPÇÃO.

O cruzamento desses 4 pares preferenciais gera 16 tipos psicológicos. São eles que irão ajudar a definir seu estilo de trabalho, suas preferências de ambiente, a forma de se comunicar, sua abordagem para resolução de problemas e, em casos como os de orientação vocacional, a profissão que melhor se enquadra ao seu estilo de personalidade.

A VOKARE, plataforma de orientação vocacional, combina a teoria de Myers-Briggs, além da Psicologia Positiva, Neurociência e os mais modernos conceitos de Orientação Profissional, fazendo o cruzamento de 25 mil dados que, ao final, proporcionarão maior especificidade quantos aos cursos que mais se adéquam ao perfil do participante. A experiência pode fazer a diferença para aqueles que desejam se conhecer melhor e acertar na escolha do curso superior. Afinal, são inúmeros cursos de graduação disponíveis e muitas afinidades em jogo. A escolha deve ser criteriosa e muito bem direcionada.

Conheça a VOKARE e escolha o caminho que te levará ao sucesso e à satisfação pessoal e profissional!